É publicidade, mas tão inteligente que não faz mal à saúde. É português do Brasil, sendo de Camões, e por isso mesmo se calhar mais próximo daquele que ele falava do que o que hoje se usa por cá. E é o contentamento da poesia maior em português, como até uma criança (ou sobretudo uma criança) percebe.