Em Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau, ainda não existe, em cada um desses países, uma História da Literatura, como os leitores e estudantes portugueses, por exemplo, têm uma História da Literatura Portuguesa, sendo que esta, naturalmente, existe na forma de discursos interpretativos dos factos, textos e outros materiais relativos ao que se entende ser o historial literário do país. Tantas histórias quantos os livros historiográficos que a comunidade das letras e dos leitores entende darem conta desse objecto compreendido como História da Literatura. Somente Angola avançou, há alguns anos, para a escrita colectiva de uma História da Literatura Angolana.

 

Pires Laranjeira