Confirma-se: há vida lusófona a norte do Minho. Na secção “Galiza Canibal” (nome roubado ao grupo de rock Os Resentidos), Ana Bela Almeida e Burghard Baltrusch, dois estrangeirados que leccionam Estudos Portugueses em universidades do berço de Portugal (leia-se Galiza ou Galicia com [θ] intervocálico), prometem mastigar um pouco de tudo – contanto que não faça mal aos dentes: da dura sobrevivência dos Estudos Portugueses além-Minho, passando pelas novidades na área da língua, cultura e literatura galegas, sem perderem de vista as ondas do mar de Vigo, a rebeldia de Rosalía, as vacas de Lupe Gómez e o licor café.

 

burghard2

Burghard Baltrusch é Professor agregado de Literatura Lusófona e Teoria da Tradução na Universidade de Vigo. Coordenador do Mestrado em Tradución & Paratradución e presidente da Asociación Internacional de Estudos Galegos.

Áreas de Investigação: Fernando Pessoa, Literatura Portuguesa e Galega Contemporâneas, Teoria da Tradução, Crítica Feminista. Para uma bibliografia parcial veja-se http://webs.uvigo.es/paratraduccion/paratraduccion/PublicacionesGrupoPARATRADUCCION.pdf 
 
ana-belaAna Bela Almeida é ex-aluna de Estudos Portugueses na FLUC e na Universidade Nova de Lisboa. Foi leitora de Português em Santa Barbara (Califórnia), Vigo e Corunha. Prepara doutoramento a apresentar à Universidade da Corunha.

Traduziu A Ovelha Negra e outras fábulas, de Augusto Monterroso. Colabora no blogue Os Livros Ardem Mal.